bio

Nasceu no Porto em 1968. Vive e trabalha no Porto. | Born 1968 in Porto (Portugal). Works and lives in Porto, Portugal.

Exposições individuais| Individual exhibitions

1994
Grau zero, Galeria Quadrum, Lisboa.

1995
Esta é a minha imagem, CAPC, Coimbra.

1998
Não digas nada, Galeria Presença, Porto.

1999
Political body, Institute of Visual Arts, University of Wisconsin, Milwaukee, U.S.A.

2000
Fuga, Galeria Cesar, Lisboa.

2001
Posição invertida, Galeria Marta Vidal, Porto.

2004
No meio, Galeria Marta Vidal, Porto.

2007
Conta-me coisas, Galeria Fernando Santos (Espaço 531), Porto.

2008
Imagens caligráficas, IN.TRANSIT # 37, Porto.

2013
FLASH Automático, Control Remoto y Resolución de Problemas, Galeria Fernando Santos, Porto.
Está em loop?, Pedras e Pêssegos, Porto.

2015
J. E AS PEDRAS, Espaço Mira, Porto.
RÉPÉTITION, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra.
NOIT, Galeria Fernando Santos, Porto.

Exposições colectivas | Collective exhibitions

1993
Alegorias de uma crise, Galeria A5, Santo Tirso.

1995
Arte Jovem, Fórum da Maia.

1996
Jetlag, Reitoria da Universidade de Lisboa.
Mais tempo menos história, Fundação de Serralves, Porto.
Os Paseos de Euclides, Bienal de Pontevedra, Espanha.
Zapping ecstasy, CAPC, Coimbra.

1997
Em torno de Camilo, Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão.
Mediações, Palácio Galveias, Lisboa.
IIª Bienal de Arte Jovem, Fórum da Maia.
Além da Água, Beja.
Paisagem económica urbana, Graça Fonseca, Lisboa.
5th Internacional Istanbul Biennial, Istambul.
Anatomias contemporâneas, Fundição de Oeiras, Oeiras.

1998
Observatório, Fotografia Contemporánea Portuguesa, Sala de Exposiciones del Canal de Isabel II, Madrid, Espanha.
III Bienal de Arte AIP’p8, As Escolhas dos Críticos de Arte Portuguesa Contemporânea, Europarque, Vila da Feira.

1999
911-1999. O ensino médico em Lisboa no início do século. Sete artistas contemporâneos evocam a geração médica de 1911, Galeria de Exposições Temporárias, Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.
Arte Portuguesa dos Anos 90 na Colecção da Fundação de Serralves, Casa da Cultura de Paredes.
Quarto Interior, W.C. Container, Edifício Artes em Partes, Porto.
Arco’99, Galeria Presença, Madrid, Espanha.
Nuevos caminhos, Amenazas y promesas del arte electrónico, Xacobeu’99, Casa das Artes, Vigo, Espanha.
Corpo maior, Galeria Presença, Porto.
Ruído, Galeria Cesar, Lisboa.

2000
Arco 2000, Galeria Presença, Madrid, Espanha.
Arritmia, Mercado Ferreira Borges, Porto.
Four rooms, a kitchen and a view, Porto.
Four rooms a kitchen and a view, Helsínquia, Finlândia.
Plano XXI, Glasgow, Reino Unido.
3ª Bienal de Arte, O Adeus ao escudo: os portugueses em portugal, na europa e com o euro, Fundação Cupertino Miranda, Câmara Municipal da Guarda, Guarda.

2001
321 m2, trabalhos de uma colecção particular, CAPC, Coimbra.
Experiência do lugar, Museu de História da Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto.
90’ for sale, Galeria Marta Vidal, Porto.

2002
Círculo F, Círculo de Artes Plásticas de Coimbra.
Arte-Público, Fundação de Serralves, Porto.
Uncertain Signs – True Stories, Badischer Kunstverein Karlsruhe, Germany.

2003
Arco 2003, Galeria Marta Vidal, Madrid, Espanha.
Post 25A, Edifício Paraninfo, Zaragoza, Espanha.
Encuentro entre 2 colecciones, Fundação de Serralves-Fundación la Caixa, Arte portugués y español de los 90, Centro Cultural Fonseca/Cappilla del Colegio Mayor Fonseca, Salamanca, Espanha.
Objectos Cruzados, Experimentadesign-Bienal de Lisboa, Lisboa.
Thank God It’s Almost Christmas, Galeria Marta Vidal, Porto.

2004
Post 25A, Universidade Carlos III, Madrid.
Imaxinarte, Centro On Caixa Galicia, A Coruña, Espanha.
Proximidades e Acessos: Obras da Colecção de Ivo Martins, Culturgeste, Porto.
Sin Generaciones, Iguapop Gallery, Barcelona.
Quartel, Arte, Trabalho e Revolução 2004, Livraria Utopia, Porto.
Espaços em branco, Galeria Cubic, Lisboa.

2005
Penthouse – uma ocupação temporária, Rua de Ceuta, 16, Porto.
Em fractura — Colisão de territórios, Projecto Terminal, Hangar K7, Fundição de Oeiras, Oeiras.
Project wall, Matéria Prima, Porto.

2006
Photoespaña
2006, Momentos da vídeo arte portuguesa contemporânea, Conde Duque, Media Lab, Madrid.
Teleférico-Cais de Embarque, Teleférico Guimarães.
Momentos da Vídeo Arte Portuguesa Contemporânea, Biblioteca  do Instituto   Camões de Luanda, Luanda, Angola.

2007
Berardo Museum Opening “Grand Hall”, Centro Cultural de Belém (CCB), Port.
Paisagem Contemporânea Portuguesa – Riad, Arábia Saudita.
Deslocações, Centro Comercial Braga Parque, Braga.
Sem rede, Galeria da Universidade, Braga.
Antimonumento, Galeria António Henriques, Viseu.
Stream, White Box, New York, U.S.A

2008
Linha do Horizonte: o motivo da paisagem na arte portuguesa contemporânea, Caixa Cultural da Caixa Económica, Rio de Janeiro, Brasil.
Linha do Horizonte, Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto, Port.

2009
Projecto para a Casa do Conto, Porto.
Projecto para a Casa Raquel Guimarães, Guimarães;

2010
Téléthèque, #5 Encontro Videográfico, Instituto Franco-Português, Lisboa, Port.
All my independent women, Em torno de uma leitura da Novas Cartas Portuguesas, Casa da Esquina, Coimbra, Port
Signos #1, Espaço Gesto, Porto, Port.
Se não puder dançar não quero fazer parte desta revolução, Plataforma Revólver, Lisboa, Port.
Mono (a propósito do Grupo Cores _GICAPC 1976/78), Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Coimbra.
Terraço, Projecto de Filipa Oliveira para a Arte Lisboa 2010, Lisboa, Port.

2011
Circuit, Projecto Obra de Papel (2/24 Fevereiro 20011), Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura.
Roads to Whatever, Obras da colecção do CAM, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

2012
CCC_Collecting Collections and Concepts, Fábrica ASA, Guimarães 2012 Capital Europeia da      Cultura.

2013
Uma questão de género, 1ª Avenida, Edifício AXA, Porto.
Sob o signo de Amadeo. Um século de arte. 30 anos CAM, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
O vasto espaço da realidade (Momento I), Espaço Mira, Porto.

2014
Apesar de tudo, ainda se fodia, Maus Hábitos, Porto.
Teoria da Pintura, Galeria da AISCA, Viana do Castelo.
Sem Quartel, Sismógrafo, Porto.

2015
Lugares de viagem – Bienal da Maia 2015, Maia. Homeless Monalisa, Colégio das Artes, Coimbra.
Uma, Painel – Galeria da FBAUP, Porto.
Trabalhadores do cu, Maus Hábitos, Porto. Curadores: Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey.
Diálogo, Avelino Sá e Cristina Mateus, Galeria Fernando Santos, Porto.
A Fundação, Maus Hábitos, Porto. Curadores: Cristina Regadas, José Almeida Pereira e Miguel  Flor.

2016
P.- uma homenagem a Paulo Cunha e Silva, por extenso, Galeria Municipal do Porto. Curador: Miguel von Hafe Pérez.

Projectos na WEB | WEB projects

2005
“No meio”, e-zine vector, x#2, [http://www.virose.pt/vector/x_02];

2006
“Turn Over”, Interact, Revista de Arte Cultura e Tecnologia [http://www.interact.com.pt/interact6/].

Outros projectos (selecção) | Further projects (selection)

1994
Portfolio de lançamento da publicação Confidências para o exílio | Portfolio for the magazine Confidencias para o exilio.

1996
Apresentação do Projecto Além da Água, MEIAC, Badajoz, Espanha. | Além da Água Project presentation, MEIAC, Badajoz, Spain.

1999
Colaboração no projecto “Aqui agora neste momento”, Programa de Dança e Música paralelo à exposição Circa 1968, Fundação de Serralves, Porto. | Collaboration in the project “Aqui agora neste momento”, Program of music and dance parallel to the exhibition Circa 1968, Fundação de Serralves, Porto.

2001
Coordenação, com Joana Providência, do projecto performativo “B612”, Fundação Ciência e Desenvolvimento, TeCA, Porto | Coordination, with Joana Providência, of the performative project “B612”, Fundação Ciência e Desenvolvimento, TeCA, Porto.

2005
Co-curadora da exposição Penthouse: Uma ocupação temporária | Co-curated the exhbtion Penthouse: A Temporary Occupation.

2014
Participou como intérprete no filme A Santa Joana dos Matadouros de João Sousa Cardoso, com exibição pública a 24 de Maio de 2016 no Teatro Rivoli (Porto).

2015
Concepção da cenografia da peça de dança Lastro de Né Barros. Participação neste espectáculo também como música (percursão). Este trabalho estreou no dia 29 de Outubro de 2015 no Teatro Rivoli, com exibição também no dia 30 no mesmo teatro. A peça Lastro foi apresentada também na Casa das Artes de Famalicão a 6 de Fevereiro de 2016, a 19 e 20 de Fevereiro na Culturgest em Lisboa e a 22 de Abril de 2016 no Teatro Académico Gil Vicente em Coimbra.

2016
Apresentação da performance “…de qualquer modo há um ritmo forte…e tu sabes o que é. Não dá para parar.” no Projeto “A Sala”, Maus Hábitos (projetos performativos dos artistas Alexandre Osório, Ana Deus, Ana Ulisses, André Fonseca, António Lago, António Melo, António Olaio, Cristina Mateus, Paulo Mendes, Pedro Tudela, Ramiro Guerreiro e Susana Chiocca).

É fundadora da Virose | Co-director of Virose (www.virose.pt).

Colecções | Collections
Colecção Portugal Telecom
Colecção Fundação de Serralves
Colecção Ivo Martins
Colecção Berardo
Colecção PLMJ
Colecção Fundação Calouste Gulbenkian